Roland Garros

Roland Garros pode ser cancelado caso medidas restritivas sejam estendidas

Da Redação BandSports 02/04/2021 • 10:12
Grand Slam está marcado para ocorrer entre os dias 24 de maio e 6 de junho
Grand Slam está marcado para ocorrer entre os dias 24 de maio e 6 de junho
Instagram/Roland Garros

Após o presidente francês Emmanuel Macron decretar um novo lockdown na cidade de Paris e nos arredores, o diretor da Federação Francesa de Tênis (FFT), Gilles Moretton, admitiu que o torneio Roland Garros deste ano, que está marcado para ocorrer entre os dias 24 de maio e 6 de junho, pode ser cancelado.

Com o aumento no número de casos da covid-19, Macron ampliou as medidas restritivas pelo período de quatro semanas, que pode ser estendido caso não haja uma diminuição no número de casos e óbitos no país.

“No momento, estamos no caminho certo, o torneio está nas datas programadas. Mas se formos informados de que há um confinamento geral de dois meses, necessariamente teremos que tomar medidas, a pior delas sendo o cancelamento total. Mas não me atrevo a imaginar isso”, disse o diretor da FFT.

Realista de que o Aberto da França não contará com multidões de 40 mil pessoas por dia, Gilles espera que os torneios que antecedem possam servir de exemplo sobre como lidar com o público. No ano passado, após ser adiado para setembro, a competição contou com apenas 1000 espectadores por dia.

“Estamos estudando muitas opções para Roland Garros 2021 porque não ouso imaginar um nível de 100% da multidão”, disse Moretton. “Mas isso (as opções) podem começar com portões fechados chegando até um nível que não será 100 por cento. Nós encontramos todos os jogadores regularmente e esperamos para ver como as coisas vão acabar”, continuou.

Caso a competição ocorra, o diretor garantiu que os jogadores não terão de cumprir nenhum tipo de quarentena, como foi realizado no Aberto da Austrália, onde os atletas não tinham autorização para deixar seus quartos de hotel por duas semanas.

“Antes de nós, existem outros torneios como Monte Carlo, que acontece no mesmo território e é ao ar livre. Depois de nós, há torneios não muito longe (em Madrid e Roma), por isso não faremos como na Austrália”, pontuou.

Após diversos tenistas questionarem a vacinação, o diretor apontou que os tenistas que já tiverem tomados as duas doses da AstraZeneca, Pfizer ou Moderna, poderão iniciar seus treinos assim que chegarem em solo francês após um teste rápido para covid-19. Aqueles que não tomarem nenhuma ou somente uma das doses, terão de esperar nos hotéis, e somente após a confirmação de um resultado negativo, os atletas poderão seguir para as quadras.

  • roland garros
  • tênis
  • paris
  • frança
  • esportes
  • covid-19
  • app