Roland Garros

Seis nomes para ficar de olho na atual temporada da F2

Da Redação BandSports 27/03/2021 • 07:12 - Atualizado em 27/03/2021 • 07:24
Felipe Drugovich é o principal nome do Brasil para a temporada da Fórmula 2
Felipe Drugovich é o principal nome do Brasil para a temporada da Fórmula 2
Reprodução/Instagram Felipe Drugovich

A Fórmula 2 estreou na tela do Bandsports neste fim de semana. Com a classificação da Feature Race da etapa do Bahrein definida na sexta-feira, 26, o brasileiro Felipe Drugovich, da UNI-Virtuosi, garantiu a terceira posição no grid de largada. A pole position para seu companheiro de equipe, o chinês Guanyu Zhou.

Em temporadas passadas, a categoria revelou nomes que atualmente marcam presença no elenco da Fórmula 1. Charles Leclerc, da Ferrari; Lando Norris, McLaren; Mick Schumacher, Haas; e George Russell, Williams, são alguns dos prodígios da F2 que competem na principal categoria do automobilismo nesta temporada.

Com tantos jovens destaques revelados e corridas acirradas até o último minuto, os talentos da categoria de acesso à F1 seguem com o objetivo de “imitar” o caminho de Leclerc e Norris. Elencamos alguns nomes para você ficar de olho em 2021, alguns deles também foram destacados pelo site oficial da Fórmula 1.  

Felipe Drugovich
Principal nome do Brasil na categoria, o paranaense de 20 anos parte para seu segundo ano na F2, sua estreia aconteceu na temporada 2020, pela equipe MP Motorsport. Com berço automobilístico, ele começou no kart aos 8 anos, obtendo destaque internacional na categoria. Em 2016, ingressou na Fórmula 4, começando a seguir o caminho para o maior campeonato de automobilismo do mundo. Menos de um ano depois já estava na F3. Com uma temporada um pouco abaixo do esperado em sua estreia na categoria em 2019, o brasileiro surpreendeu com uma promoção para a F2, pela MP Motorsport. Seu bom desempenho em 2020 o credenciou a ser contratado por uma das equipes mais eficientes do grid, a Uni-Virtuosi.  

Robert Shwartzman
Grande nome da categoria, o russo apoiado pela Ferrari surge como principal candidato ao título ao fim da temporada pela Prema Racing. Campeão da F3 em 2019, ele parte para seu segundo ano competindo na F2. Ano passado o piloto viu seu companheiro de Prema, Mick Schumacher, levar a melhor e se sagrar campeão da categoria. Shwartzman é conhecido por suas surpreendentes ultrapassagens.

Christian Lundgaard
Sétimo colocado na classificação geral da temporada passada, o piloto apoiado pela Alpine decidiu seguir na equipe ART GRAND PRIX para buscar o título e, consequentemente, a promoção à F1. Seu principal obstáculo no automobilismo é manter a consistência. Em temporadas passadas, o dinamarquês não conseguiu ser regular em momentos-chave, o que acabou custando vitórias e campeonatos.

Oscar Piastri
Estrela da Alpine Academy, o australiano promete rivalizar com seu companheiro de Prema Racing, Robert Shwartzman. Piastri já possui alguns títulos significativos na curta carreira. Em 2019, ele venceu a Eurocopa de Fórmula Renault, e no ano seguinte, o campeonato de Fórmula 3 da FIA. Agora, em sua primeira temporada na F2, o piloto de apenas 19 anos é um nome para não se perder de vista no grid.

Gianluca Petecof
O paulistano de 18 anos está estreando na categoria, mas já tem muita história para contar. Petecof iniciou sua vida no automobilismo logo aos 7 anos, pilotando kart por influência do pai. Em 2017, seu desempenho promissor lhe garantiu uma vaga na Academia Ferrari, onde permaneceu por pouco mais de três anos. Sua estreia em um veículo monoposto foi em 2018, na Fórmula 4, quando chegou a conquistar vitórias na Itália e Alemanha pela Prema PowerTeam. O melhor momento de sua carreira até então chegou em 2020, ao vencer a Fórmula Regional Europeia e alcançar os 40 pontos necessários para garantir a superlicença, qualificação usada para competir na F1. Agora, ao lado do suíço Ralph Boschung, na equipe espanhola Campos Racing, Petecof segue em busca do sonho da Fórmula 1.

Guilherme Samaia
Com 24 anos, Samaia é o mais velho entre os brasileiros. Natural de São Paulo, seguiu os passos dos grandes pilotos do País e iniciou no kart, aos 12 anos. Construiu grande parte da sua carreira nos campeonatos nacionais do Brasil. O bom desempenho no kartismo o levou a estrear em um monoposto em 2013, competindo na Fórmula Júnior Brasil. Em 2015, conquistou a Fórmula 3 Brasil Light. O sucesso fez com que o piloto participasse da Euroformula Open Championship, um ano antes de fazer sua estreia na F2. No primeiro ano na atual categoria, Samaia teve um desempenho abaixo do esperado pela equipe Campos Racing. Agora, mais maduro e adaptado ao carro, tenta figurar no topo da tabela. Pela Charouz Racing, terá a companhia do alemão David Beckmann.

Para a temporada de 2021, que promete ser histórica, o campeonato de Fórmula 2 terá transmissão completa do Bandsports.

  • Felipe Drugovich
  • app
  • automobilismo
  • fórmula 2
  • f2