ATP e WTA cancelam temporada de saibro do tênis e congelam rankings masculino e feminino

Entidades do tênis masculino e feminino tomaram a decisão por causa do surto de coronavírus

Em raro comunicado conjunto, a ATP e a WTA anunciaram nesta quarta-feira o cancelamento da temporada de saibro do circuito em razão da pandemia de coronavírus. As competições só vão retornar no início de junho, já para a curta temporada de grama do calendário. As entidades também congelaram os rankings, mantendo a indefinição sobre a classificação para os Jogos Olímpicos de Tóquio.

Inicialmente, a ATP havia suspendido o circuito masculino por apenas seis meses, com retorno no meio de abril. Já a WTA paralisara o calendário feminino até o início de maio. Antes, a organização dos Torneios de Indian Wells e Miami, dois dos maiores do circuito, abaixo apenas dos Grand Slams, também cancelaram suas edições deste ano.

Desta vez, as duas entidades ampliaram a suspensão do circuito até o dia 8 de junho, quando terão início dos torneios na grama, tanto no masculino quanto no feminino. A temporada nesta superfície culmina em Wimbledon, marcado para 29 de julho. A data do Slam foi mantida, assim como as demais competições na grama.

Já os torneios de saibro foram todos cancelados, neste período entre março e junho. Isso inclui os tradicionais Masters 1000 de Madri e Roma, que contam com chaves masculina e feminina, além dos Torneios de Strasbourg, Rabat, Munique, Estoril, Genebra e Lyon. Os cancelamentos incluem as competições de nível challenger e ITF.

O único torneio da gira de saibro que foi mantido no calendário deste ano é Roland Garros, transferido para o período de 20 de setembro a 4 de outubro. A mudança, anunciada de forma inesperada na terça, causou polêmica entre as principais entidades do tênis mundial.

Isso porque afetará os torneios mais próximos, como o US Open, marcado para acabar uma semana antes da nova data de Roland Garros. Além disso, haverá choque com a Laver Cup, que passou a integrar o calendário oficial da ATP no ano passado, com pontos no ranking, inclusive.

Ao anunciar as mudanças no calendário, a ATP e a WTA não deixaram de alfinetar a decisão dos organizadores do Grand Slam francês. "O momento não é de agir de forma unilateral, mas em uníssono. Todas as decisões relacionadas ao impacto do coronavírus exigem consultas apropriadas e revisões diante dos acionistas, uma visão que é compartilhada por ATP, WTA, ITF, AELTC, Tennis Austrália e USTA", diz o comunicado, sem citar a Federação Francesa de Tênis (FFT), responsável pela organização de Roland Garros.

Rankings

A mudança da data do Grand Slam disputado em Paris e o cancelamento da temporada de saibro deixaram em aberto os critérios para a classificação olímpica. Inicialmente, as vagas seriam definidas pelo ranking a ser atualizado justamente no dia 8 de junho, que seria a lista publicada logo após a disputa de Roland Garros.

Nesta quarta, as entidades decidiram congelar todos os rankings. Assim, a pontuação de todos os tenistas será mantida intacta até o dia 8 de junho, se descontar nenhum ponto e também sem acrescentar mais nenhum, afinal todas as competições do período foram canceladas.

Desta forma, se mantiver esta data como definição da classificação para os Jogos de Tóquio, a ATP e a WTA vão confirmar os tenistas que já estão neste momento dentro da zona de classificação. As entidades não informaram se o formato da qualificação olímpica será mantido.

Compartilhar

Ler a notÍcia completa

Deixe seu comentário