Bruno Soares conta como superou a covid-19 antes de conquistar o US Open

Duplista testou positivo para a doença pouco antes da viagem para os Estados Unidos

Campeão de duplas do US Open, Bruno Soares quase não disputou o Grand Slam norte-americano. Após a conquista do título, o brasileiro revelou que testou positivo para a covid-19 pouco antes de embarcar para os Estados Unidos. Em entrevista ao Ace Bandsports, o mineiro contou que o período de isolamento prejudicou sua preparação, mas a queda precoce em Cincinnati contribuiu para o sucesso no Major.

“Eu não quis anunciar, mas eu peguei aos 48 do segundo tempo. Eu tinha feito uma baita preparação. Tinha feito um trabalho físico muito legal. De repente, 15 dias antes de viajar, testei positivo. A parte boa é que eu não tive sintomas, mas fiquei 14 dias completamente parado. Perdi um pouco do ritmo. Tive que atrasar meu voo para esperar o teste dar negativo. Tive a sorte de dar negativo antes de ir. Aos poucos fui melhorando, o ar foi voltando. Acabou que foi bom perder na primeira rodada de Cincinnati porque tive mais 10 dias para me preparar até o US Open”, analisou.

O título do US Open coroou a primeira grande conquista de Bruno ao lado do croata Mate Pavic. Ele lembrou que a parceria não começou bem no ano passado e destacou a paciência para colher grandes resultados.

“A gente teve paciência acima de tudo. Quando a gente formou a parceria ano passado criou uma expectativa nova. Os resultados não apareceram logo de cara. A gente teve um ano um pouco frustrante. A gente sentiu que estava jogando bem, mas os resultados não estavam aparecendo. Acho que nesse US Open a gente mostrou que está um time redondo, com a estratégia bem feita, com a comunicação e a energia muito boas. É isso que faz uma grande dupla”, analisou.

Bruno e Pavic já estão na Itália para a disputa do Masters 1000 de Roma. Eles vão estrear contra o eslovaco Filip Polasek e o croata Ivan Dodig.

Compartilhar

Ler a notÍcia completa

Deixe seu comentário