Tênis

André Sá explica ausência de Federer no Aberto da Austrália

Da Redação BandSports 06/01/2021 • 02:04 - Atualizado em 06/01/2021 • 09:37
André Sá é diretor de Relações com os Jogadores da Tennis Australia
Reprodução/Bandsports

O brasileiro André Sá, diretor de Relações com os Jogadores da Tennis Australia (Federação Australiana de Tênis), revelou em entrevista ao Ace Bandsports que o principal motivo para Roger Federer ficar fora do Australian Open foi a rigorosa regra de quarentena para os familiares dos atletas. No fim de dezembro, Tony Godsick, agente do atual número 5 do ranking, comunicou que o suíço não estava pronto para o retorno às quadras por causa da reta final de recuperação de duas artroscopias no joelho.

“O motivo principal foi a quarentena. Eu falei com ele há um mês e ele tinha duas opções. Ele poderia vir com toda a família e fazer a quarentena. O problema é que a Mirka (mulher de Federer) e os filhos não poderiam sair do quarto. Eles teriam que ficar 14 dias dentro do quarto. A exceção é só para os jogadores. Ele poderia sair, treinar e voltar, mas a família não. A Mirka não aprovou a ideia”, afirmou.

“A outra opção seria ele vir sozinho. Só que aí seriam no mínimo cinco semanas longe da família e dos filhos. E aí ele soltou: 'Cara, 39 anos, quatro filhos, 20 Grand Slams. Já não estou na época de ficar cinco semanas longe da família’", completou o brasileiro.

Por causa dos procedimentos de segurança contra a covid-19, o primeiro Grand Slam da temporada foi adiado em três semanas e tem início marcado para o dia 8 de fevereiro.

  • BandSports
  • tênis
  • andré sá
  • roger federer