Tênis

“Federer faz eu me sentir um péssimo jogador”, diz Wilander, ex-número 1 do mundo

Da Redação BandSports 01/06/2021 • 12:23 - Atualizado em 01/06/2021 • 12:27
Federer venceu Istomin na estreia em Roland Garros e pega Cilic na segunda rodada
Federer venceu Istomin na estreia em Roland Garros e pega Cilic na segunda rodada
Reprodução/Instagram ATP

Mesmo tendo ficado um longo período sem jogar e não obtendo bons resultados em seu retorno às quadras no início do ano, Roger Federer ainda é capaz de encantar os apaixonados por tênis do alto de seus 39 anos, idade considerada por muitos elevada para um atleta de ponta. Mas não para o suíço, que desfilou todo o seu talento e elegância na vitória por 3 sets a 0 sobre Denis Istomin na estreia em Roland Garros, na segunda-feira, 31, com transmissão do Bandsports.  

A atuação do ex-número 1 do mundo em seu retorno ao saibro de Paris chamou a atenção de outro ídolo do esporte: o sueco Mats Wilander, dono de sete títulos de Grand Slam e líder do ranking da ATP na década de 1980.  

“Senti como se eu estivesse no paraíso”, disse Wilander. “Antes de tudo, Roger é simplesmente tão elegante, parecia que ele nunca esteve afastado”, emendou o sueco, fazendo alusão ao ano passado, quando Federer ficou longe das quadras por causa de uma contusão no joelho que lhe rendeu duas cirurgias.  

“Ele é tão gracioso em tudo o que faz – os drop shots, o slice de backhand, o saque e voleio... Cada golpe que ele dá me faz sentir estranho, como se eu fosse um péssimo jogador. É inacreditável como ele consegue jogar tênis dessa maneira”, elogiou o ex-tenista.

Com a experiência de quem já levantou três troféus de Roland Garros (nas edições de 1982, 1985 e 1988), Wilander ainda comentou sobre a estratégia de jogo que o campeão de 2009 na terra batida de Paris deve adotar para continuar avançando no torneio.  

“A seleção de jogadas para Roger Federer é muito importante, porque [o piso] está um pouco escorregadio, e nós o vimos escorregando um pouco hoje. É importante que quando tenha a oportunidade ele coloque [efeito] spin suficiente na bola para que ela não volte tão rápido para ele”, falou o sueco.

“Ele precisa controlar o ponto, tem de bater com spin suficiente para não ser atacado por seu adversário”, encerrou Wilander.

Atual número 8 do ranking, Federer não deve ter vida fácil na segunda rodada de Roland Garros, quando vai enfrentar o croata Marin Cilic, que bateu o francês Artjir Rinderknech na estreia.

  • federer
  • app
  • tênis
  • roland garros
  • wilander
  • grand slam